Informações Úteis

Cartões

Posso viajar apenas com cartões dentro do Brasil?

 

Cheques e cartões de débito e crédito são aceitos na maior parte dos estabelecimentos, de hotéis a restaurantes e lojinhas. Mas verifique antes com seu banco ou administradora do cartão se o destino possui tal modernidade. Se não tiver informações sobre o lugar - principalmente no caso de praias e povoados do interior - leve dinheiro em espécie. O mesmo vale para quem viaja de carro e vai encontrar pedágios no caminho.


E no exterior?


Nas viagens internacionais, os gastos aparecem na fatura em dólares, o que pode trazer surpresas desagradáveis na hora do pagamento se a cotação do dólar subir muito em relação à data do consumo. Uma vantagem do cartão de crédito internacional é que ele serve para sacar dinheiro nos caixas automáticos do mundo todo. Além disso, muitos incluem seguro de bagagem, seguro de saúde, seguro de vida... Vale dar uma checada na administradora do seu cartão.


Mas não é bom levar dinheiro em cash?


Sim. Mesmo que você prefira usar cartão crédito, vale ter um punhado de dólares ou de euros para as coisinhas do dia-a-dia, para as compras em feiras de artesanato e principalmente para a estada em cidades pequenas e povoados que não aceitem cartões.


Evite andar só com notas de US$ 100. Elas são mais visadas pelos falsificadores e, por isso, não são aceitas em muitas lojas, principalmente na Europa. Além disso, é difícil conseguir troco.


Que medidas de segurança devo tomar para evitar roubos?


Divida o dinheiro em carteiras diferentes para não correr o risco de ficar totalmente duro (em caso de roubo ou perda). Uma parte deve ficar no “money port”, sacolinha que fica sob a roupa. Só não vá esquecer onde guardou! No final da viagem, troque todas as moedas estrangeiras por notas. Moedas não costumam ser aceitas nas lojas do free shop.


Há como usar cartão de débito no exterior?


O Visa Travel Money funciona como um cartão de débito e pode ser carregado, permitindo saques com uma senha. Com ele, não há imprevistos de alteração de câmbio.

 

Fonte: Editora Abril